9 piscinas naturais imperdíveis no Brasil

por informações momondo
Imagens: Reprodução/Divulgação/momondo
 
Jacyan Melo Passagens - Entre as tantas belezas naturais que o Brasil oferece, muitas beiram o inacreditável e são de fazer inveja a qualquer Caribe ou Bali pelo mundo. Algumas formações da natureza criam piscinas naturais tão lindas que nem parecem reais.
 
Águas límpidas e cristalinas, recifes, corais, rochedos e uma fauna marinha riquíssima desenham essas paisagens deslumbrantes pelo país, em especial na região Nordeste. Confira a seguir 9 piscinas naturais imperdíveis no Brasil.
 
Porto de Galinhas (Pernambuco)
 
 
O popular destino turístico do litoral sul de Pernambuco tem como principal atrativo as piscinas naturais que se formam entre os arrecifes de corais, durante a maré baixa.
 
 
Por isso, é praticamente obrigatório mergulhar entre os peixes coloridos em Porto de Galinhas. O local é um refúgio para inúmeras espécies de peixes que ficam alimentando-se bem pertinho dos visitantes.
 
 
As piscinas naturais de Porto de Galinhas ficam a poucos metros da areia. É possível curti-las passando a pé por cima dos corais (só cuidado com os ouriços) ou através de passeios de jangada.
 
 
Maragogi (Alagoas)
 
 
Porta de entrada para os Estados de Alagoas e Pernambuco, Maragogi goza da fama de ser um dos mais bonitos. E não é à toa. A 125km de Maceió, a cidade está em uma Área de Proteção Ambiental e esbanja belezas naturais de tirar o fôlego.
 
 
O principal atrativo, claro, são as praias, com águas cristalinas e extensas faixas de corais e as muitas piscinas naturais. As piscinas naturais de Maragogi ficam em três áreas abertas a visitação: Galés, Taocas e Barra Grande, perfeitas para tomar um banho relaxado, fazer stand-up paddle ou mergulhar com snorkel para observar as muitas espécies marinhas.
 
 
Para colaborar na preservação da região, os passeios são feitos em dias e horários que variam de acordo com a tábua de marés. Por isso, é indicado reservar o passeio, pois as visitas são restritas a alguns dias do mês.
 
 
Gruta do Lago Azul, Bonito (Mato Grosso do Sul)
 
 
Um dos principais cartões-postais de Bonito, no Mato Grosso do Sul, a Gruta do Lago Azul requer um tantinho de esforço para chegar até ela – fica a 20km do centro da cidade, é preciso andar cerca de 150 metros pela mata e descer uma longa escadaria – mas a paisagem incrível compensa tudo.
 
 
O lago com cara de piscina tem águas incrivelmente azuladas e com profundidade estimada de 90 metros. Tanto o teto quanto o piso da gruta são repletos de espeleotemas de várias formas e tamanhos. A origem de suas águas ainda é incerta, o que torna o local ainda mais fascinante.
 
 
Lençóis Maranhenses (Maranhão)
 
 
Como explicar o “deserto molhado“ em pleno Nordeste brasileiro? A lógica é severamente desafiada ao se deparar com a paisagem dos Lençóis Maranhenses: centenas de quilômetros de dunas de areia preenchidas por piscinas naturais gigantescas.
 
 
O Parque Nacional tem área de 155.000 hectares, e incluem 70 km de praias desertas. A força das chuvas do primeiro semestre do ano formam as piscinas naturais de águas azuis ou verdes, dependendo de como sol decide cobri-las. Depois que os olhos se acostumam com tamanha miragem, basta apenas contemplá-las e lamentar ter que ir embora.
 
 
Loquinhas, Chapada dos Veadeiros (Goiás)
 
 
A uma altitude superior a 1.600 metros, a Chapada dos Veadeiros é um paraíso natural de cerrado no nordeste de Goiás. Em meio a tantas belezas, são mais de 300 cachoeiras espalhadas por municípios como Vila de São Jorge, Cavalcante e Alto Paraíso, esta considerada a porta de entrada para a Chapada.
 
 
Em Alto Paraíso de Goiás, várias fazendas particulares escondem cenários dignos de cinema, com paredões rochosos, piscinas naturais e rios de águas cristalinas. O complexo de Loquinhas é um dos principais destaques, com sete poços com águas cor de esmeralda. Tudo muito tranquilo e de fácil acesso, com direito a cachoeira, muralha de pedra, trilha ecológica, ponte pênsil e uma passarela de madeira.
 
 
Baía dos Porcos, Fernando de Noronha (Pernambuco)
 
 
Não que seja preciso “convencer” ninguém para visitar Fernando de Noronha, pois o que não falta são atrativos naturais de beleza única. Mas uma prainha de apenas 100 metros de extensão é daquelas paisagens de fazer cair qualquer queixo.
 
 
A Baía dos Porcos, com sua faixa de areia rodeada de rochas vulcânicas, fica sob a sombra do imponente Morro Dois Irmãos. É na maré baixa que se forma a piscina natural com as águas mais verdes (azuis?) e cristalinas que talvez você verá na vida. Os peixinhos, ouriços e estrelas do mar desfilam a olhos nus para e criam um espetáculo para o visitante.
 
 
Maracajaú (Rio Grande do Norte)
 
 
Um dos grandes destaques do litoral norte potiguar é Maracajaú, distrito de Maxaranguape, a 55 quilômetros de Natal. É famoso principalmente pelos “parrachos” – uma área de 13 quilômetros de corais, recifes e tubos de arenito.
 
 
Durante a maré baixa, os parrachos transformam-se em uma gigantesca piscina natural de água cristalina e com profundidade de até três metros. Além de programas como passeio de quadriciclo pelas dunas ou stand-up paddle nas lagoas, claro que o local também é mais que perfeito para mergulho, com uma bela e rica fauna e flora marinha.
 
 
Lagoa Verde & Lago Azul, Ilha Grande (Rio de Janeiro)
 
 
Em Ilha Grande – a maior das ilhas de Angra dos Reis – duas praias, dentre as muitas lindas e imperdíveis, ganham atenção especial pela cor de suas águas e pela tranquilidade e riqueza marinha.
 
 
A Lagoa Verde (apelido para o nome geográfico Ilha da Longa) fica bem próxima da Enseada de Araçatiba e exibe águas rasas e absurdamente verdes e calminhas. O nível da maré faz ela separar-se de Ilha Grande quando está cheia, e unir-se por uma faixa de areia e pedras quando está baixa.
 
 
Já a Lagoa Azul ganhou seu apelido inspirado no clássico filme homônimo dos anos 1980. Trata-se de uma piscina natural com fundo arenoso, rochas e águas azuis absolutamente irresistíveis. Fica localizada entre duas ilhotas na região de Freguesia de Santana, e pertinho de outras praias lindas, como Grumixama e Baleia.
 
Em ambas as lagoas, as embarcações (lanchas, escunas e veleiros) ficam ancoradas e os visitantes podem descer para flutuar, nadar ou mergulhar com snorkel.
 
 
Taipu de Fora (Bahia)
 
 
No coração da Península de Maraú, no litoral baiano, fica o pequeno paraíso conhecido como Taipu de Fora. Suas piscinas naturais chegam a formam um quilômetro de extensão e são um convite para um mergulho preguiçoso.
 
 
A dica é pernoitar em Taipu e acordar cedinho para ver a piscina natural na hora certa (durante a maré baixa, especialmente durante as luas cheia e nova) para apreciar a beleza incomparável de suas águas cristalinas e calminhas, repletas de peixes exóticos, lesmas do mar e até tartarugas.
 
E dá para passar o dia inteiro por lá, com seus ótimos bares e restaurantes ao redor.