7 dicas para visitar outros países (e reduzir os riscos de vexames)

por informações Luiza Folly | Voopter

 

#JACYTANMELOPASSAGENS - Que atire a primeira pedra quem nunca passou vexames viajando. A experiência nos ensina que muitos deles poderiam ter sido evitados se tivéssemos nos planejado melhor, mas é tanta coisa pra pensar que a gente acaba esquecendo alguma. Pensando nisso, a Voopter listou algumas dicas pra lembrar antes de viajar pra outro país e diminuir o risco de se enrolar em solo estrangeiro:

 

VOOPTER - Todas as ofertas de passagens aéreas num só lugar. COMPARE AGORA!

 

Imagem: Reprodução/Divulgação

1) Aprenda o básico do idioma de onde quer que você vá

 

Não precisa fazer curso nem nada, mas, para facilitar a vida em países de idiomas muito diferentes, é sempre bom saber coisas básicas como "por favor", "obrigada", "com licença" e "desculpa". Os nativos (normalmente) ficam mais receptivos quando percebem que você se empenhou em tentar falar a língua deles e a comunicação pode se tornar mais tranquila. Frases como "desculpe, eu não sei falar francês/inglês/alemão/mandarim/japonês ou o que seja, mas você pode me ajudar?" também podem te salvar em situações de desespero. Se não der certo, não tenha vergonha de fazer mímica.

 

Real Seguro Viagem - Comparação de seguradoras em tempo real. Consultoria para contratação. Suporte até o fim da viagem. Clique e confira!

 

Imagem: Reprodução/Divulgação

2) Tenha em mãos endereços importantes

 

Os celulares são ótimos companheiros de viagem, mas papel e caneta também têm seu valor: não descarregam, não precisam de wifi, pegam em qualquer lugar e duvido que alguém os agarre e saia correndo. Anotar endereços importantes, como o do hotel ou casa em que você vai ficar, diminui as chances de falha na comunicação. Pensa bem: você não fala (bem) o idioma, nem todo nativo tem a paciência de tentar te entender, então, na dúvida, é só mostrar e apontar. Isso é especialmente valioso para motoristas e taxistas e uma mão na roda pra quem se perde facilmente.

 

Imagem: Reprodução/Divulgação

3) Cheque suas alergias

 

Parece paranoia, mas não é. Se você tem muitas alergias, é sempre bom dar uma olhada, por exemplo, nos pratos e temperos típicos do destino, pra ver se existe algum ingrediente que você não possa comer, pra não passar sufoco lá fora. Quem tem alergias de pele ou respiratórias, a mesma coisa, pra saber o que esperar. Sempre bom levar os remédios usuais no kit farmácia (que também é sempre bom ter), mas, no caso de medicamentos controlados, por via das dúvidas, leve a receita.

 

Imagem: Reprodução/Divulgação

4)  Pesquise sobre a cultura local

 

Pra não passar vergonha. A cultura local, incluindo a religião, dita comportamentos, gestuais, normas de etiqueta, formas de se vestir, etc. Pesquise sobre ela para não correr o risco de ser desrespeitoso ou mal-educado e nem cometer grandes gafes. Leia sobre como são os cumprimentos, modos à mesa, vestuário...e um pouco da história do lugar, que certamente vai te fazer entender o porquê de certos hábitos. Procure também saber também sobre quão segura é a região, que cuidados tomar e pra quem pedir ajuda caso aconteça alguma coisa.

 

Imagem: Reprodução/Dvulgação

5) Cuidado com o passaporte

 

Perder passaporte é um dos maiores vexames que você pode passar lá fora e diz a lenda que o dos brasileiros é um dos mais cobiçados por pessoas mal-intencionadas, por isso, fique esperto. Documento original na bolsa ou no bolso, pode esquecer. Ladrão de ocasião tem (quase) no mundo todo, por isso não é tão incomum ser furtado e só perceber horas depois. Sabe aquela pochetinha que se coloca pra dentro da roupa? Sua melhor amiga. E se quiser deixar o passaporte no hotel, sugiro que deixe na mala trancada e faça uma cópia autenticada para andar pelos destinos sem problema. É paranoia? É, mas é melhor isso que passar seus dias de férias resolvendo burocracias em delegacias e consulados.

 

Imagem: Reprodução/Divulgação/Real Seguro Viagem

6) Faça seguro de viagens

 

A gente espera que nada dê errado, mas nem tudo a gente pode prever, então um seguro de viagens pode te ajudar bastante em momentos de aperto, como doenças, consultas médicas emergenciais, tombos, atrasos de voo, extravios de mala. O ideal é não PRECISAR usar, mas ter lá pra ajudar se for inevitável. O Real Seguro Viagem, por exemplo, tem vários planos de cobertura e dá assistência 24h em português, pra ninguém ter que ficar desenrolando em outra língua em momentos de nervosismo. Você pode fazer sua cotação aqui, ó: Real Seguros Viagem

 

Imagem: Reprodução/Diulgação

7) Relaxe

 

É impossível controlar tudo e um vexame ou outro faz parte, por isso previna-se, mas relaxe. Tenha calma, que tudo se resolve. Não deixe que um probleminha estrague sua viagem, até porque uma das melhores coisas de viajar é rir das coisas que deram errado depois. Divirta-se!

Hospede-se em um dos hotéis do Hilton Hotels & Resorts e se apaixone!

 

COTE AGORA SEU SEGURO VIAGEM

Banner 728x90